Próximos posts com cara nova

Voltei, e faz tempo desde o último post.

Confesso que a preguiça me atingiu, mas quando vejo pessoas interessadas em fazer o caminho de Santiago e buscam nesse blog as primeiras diretrizes, vem a vontade de retomá-lo e atualizá-lo.

Não fiz tantas viagens como gostaria e nem o caminho português no ano passado, mas nesse ano fiz um tour bem básico por Minas e daqui uns dias irei para Paraty, Trindade e Ubatuba: sempre é bom colocar roteiros simples, básicos aqui também, não é?

E para esse ano decidimos isso: conhecer as belezas que estão pertinho de São Paulo – assim que retornar, prometo escrever com boas dicas, sempre no estilo peregrino de ser: simples, essencial, caminhando e deixando muitas vezes o acaso guiar nossos passos.

Mas o caminho português já está na lista, assim como Argentina, Bolívia e Colômbia.

Aguarde as novas diretrizes peregrinos e buen camino!

Hasta la vista!

Caminho Português

Nós sabemos que há vários e diversos caminhos para Santiago de Compostela e independente da intenção do caminhante, eles são considerados de peregrinação. Todos são percursos dos peregrinos à cidade espanhola situada na Galícia, existente desde o século IX com o objetivo de venerar os restos mortais do apóstolo Tiago, presentes na Catedral da cidade.

Na Idade Média, o Caminho de Santiago de Compostela foi o mais realizado, superando a importância pela Via Francigena (com destino a Roma) e Jerusalém, sendo concedida uma indulgência plena a quem a fizesse. Passaram os séculos, a peregrinação foi esquecida, e ganhou força apenas na década de 80, principalmente após a publicação do livro de Paulo Coelho, “Diário de um Mago”, que ganhou uma conotação internacional.

Desde então a peregrinação ganhou uma nova importância e vem crescendo a cada ano. O número dos caminhantes cresceram e muitos deles não fazem pelo objetivo religioso. De qualquer forma, o Caminho é um itinerário espiritual de primeira ordem, centenas de pessoas o percorrem todos os anos. Em 1987 foi declarado Primeiro Itinerário Cultural Europeu e em 1993 na Espanha, 1998 na França, Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

800px-Ways_of_St._James_in_Europe
Map of the travels of St. James in Western Europe

Os caminhos na Espanha já foram escritos, basta pesquisá-los. Agora vamos conhecer o caminho Português?

Em Portugal há 3 principais caminhos. As pessoas preferem partir de Porto, esse é o mais popular, porém há muitas vias e ele não é tão complicado com muitos outros.

  1. O Caminho Principal, parte de Lisboa com aproximadamente 600 Km, ou do Porto com 250 Km.

Trajeto a partir de Lisboa, passa pelas cidades: Alhandra, Azambuja, Santarém, Golegã, Tomar, Alvaiazere, Rabaçal, Coimbra, Mealhada, Águeda, Albergaria-a-Velha, Oliveira de Azemeis, Grijó, Porto

Trajeto a partir do Porto: Vairão, Rates, Barcelos, Ponte de Lima, Rubiães, Valença, Tui, Redondela, Pontevedra, Caldas de Reis, Padrón, Santiago de Compostela.

2. Caminho Português pela Costa (+-250 km), é a partir do Porto, e passa por Póvoa de Varzim (São Pedro de Rates), Esposende, Viana do Castelo, Caminha, La Guardia, Baiona, Vigo, Redondela e caminho comum ao Português.

CCplima

Pode iniciar pelo principal e depois terminar pela Costa, este consideramos o terceiro. Quem o fez, relata que são os caminhos mais bonitos da Europa, com todo o patrimônio conservado, com muita segurança e vistas belíssimas.

E então, já escolheu o seu?

Até o próximo post com mais detalhes dos trajetos.

mapa_central_full

 

E o caminho de Portugal? Meta para 2018?

Finalmente conseguindo atualizar o blog, e com algumas metas ou melhor… planos. O ano 2017 foi recheado de muitos desafios, novidades, mudanças, provas e expiações, conquistas… e são elas que interferem na próxima viagem.

Queremos realizar o caminho português para Santiago de Compostela, também queremos ficar 30 dias e fazê-lo de bicicleta para curtirmos as cidades. Também queremos partir de Lisboa, queremos aproveitar ao máximo o que o caminho tem a nos oferecer.

Então nada melhor que iniciar o planejamento com a pesquisa sobre o caminho em Portugal e claro irei divulgar todos os detalhes aqui, assim como eu fiz com o caminho central na Espanha.

Se não rolar nesse ano, também temos em mente em fazer umas mochiladas aqui na América Latina, porque convenhamos: barato e lindo de morrer! Tão especial como Europa e cada viagem, cada lugar tem valores incomparáveis.

Fecho esse post agradecendo os seguidores, o ano maravilhoso que passou, minha família e amigos, a Deus, espiritualidade e também ao meu trabalho.

Desejo muita saúde para seguir caminhando na minha vida! Que venha 2018!

Nosso 26 dia, com 30 Km caminhados e recordo que o trajeto foi muito, mas muito chato e exaustivo.

Saímos tarde, sem neura, umas 7h, e pela manhã foi ótimo, as paisagens estavam lindas, mas depois do almoço lembro que o cansaço, com o sol, veio com tudo, o calor deixou a caminhada mais difícil.

Paramos duas vezes para lanchar, paramos algumas vezes para descansar, houve subidas e descidas nervosas, e algumas vezes pensei que teria sido melhor parar antes. O caminho não foi tão tranquilo como indicaram

Antes de chegar na cidade, paramos numa lanchonete de um camping, inclusive muito bom, e comemos um bom hamburguer, daqueles que só achamos numa boa lanchonete no Brasil. quase perto do monte paramos numa venda e lá tinha uma criança, um menino, filho do dono que ficou bem feliz ao saber que éramos brasileiros, e adinha o porque? Por causa do Neymar, do futebol e etc… é… de certa forma une os povos…

Paramos e ficamos no albergue municipal que é gigante, com vários alojamentos e um restaurante de primeira, com lavanderia e área de lazer. Com míseros 6 euros nos hospedamos bem dessa vez. No restaurante comemoramos praticamente a chegada, só resta 5 km e será bem tranquilo, bebendo um bom vinho com petiscos e outras coisitas a a mais, descansamos e nos divertimos, agora já era uma sensação de vitória.

 

Movimento No Poo, funciona?

A realização do caminho veio ao encontro meu com a busca de uma vida mais simples, a qual confesso que é difícil quando se mora em SP. Mas, mudar hábitos, consumir menos, reaproveitar materiais, separar o lixo, comer menos carne e etc já são rotineiros aqui em casa. Agora parto para os produtos caseiros para criar menos lixo e consumir menos produtos prejudiciais à saúde.

Estou no movimento “no poo”, sem shampoo e condicionador. Em duas lavagens já estou amando os resultados. Vou seguir à risca nesse mês e depois postarei os resultados. Não aguento mais ir às lojas e ficar zonza e confusa com o bombardeamento de produtos, propagandas e novidades… que cá entre nós, são desnecessárias e viciantes, porque usa uma quer outra, virando um ciclo ridículo.

Pretendo manter um hidratante, um shampoo e condicionador básicos, para momentos praias e etc, não sei como meus cabelos reagirão, talvez nem será preciso… meu óleo de argan e o bepantol líquido também não serão abandonados NUNCA. Mas os tratamentos estéticos serão todos naturais, com frutas, óleo de coco e outros produtos: água de arroz é excelente para pele, a maizena é um maravilhoso shampoo à seco, o açúcar excelente exfoliante e o abacate um essencial hidratante.

Seguindo essa receita estou me surpreendendo, vou linkar para vocês, por uma vida mais simples! #nopoo#vidasimples :

http://revistamarieclaire.globo.com/Beleza/noticia/2016/01/quatro-meses-sem-shampoo-jornalista-revela-como-seu-cabelo-ficou-mais-bonito-sem-produtos-industrializados.html

images (3)

 

Minha pesquisa – Vallauris

CIMG0971

Só para não deixar esse blog abandonado… uma foto sobre a minha pesquisa: eis uma cerâmica de Picasso, da fase pictórica – pintou um vaso de Suzanne Ramié, que o projetou inspirada pelas cerâmicas pré-colombianas.

Um vaso lindo, e sua beleza não aparece na foto… em Museu de Vallauris – França, outubro de 2016.